Sports

Produção de milho será maior, mas estoque recua – 12/05/2022 – Vaivém das Commodities

A produção de milho safrinha deverá ser melhor do que o previsto no mês passado. Uma nova estimativa da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) prevê agora 89,3 milhões de toneladas.

Se confirmado, esse volume supera em 47% o de igual período de 2021, quando seca e geada provocaram uma quebra de 20 milhões de toneladas, em relação ao potencial produtivo esperado para aquele período.

Com a melhora da safrinha, o país deverá obter uma produção total de 116,2 milhões de toneladas do cereal durante a safra 2021/22. O Brasil produz três safras de milho ao longo do ano.

Sergio De Zen, diretor da Conab, alerta, no entanto, que esse volume de produção não está consolidado e “existe um possível viés de baixa”.

A região Sul ainda passará por baixas temperaturas, o que, no caso de geadas, afetará a produtividade. Já Mato Grosso, maior produtor nacional, também poderá ter problemas na produção, mas nada de grandes proporções, segundo ele.

Um aumento de produção melhora a oferta interna, mas a Conab prevê também uma aceleração das exportações nacionais do cereal. Em março, as estimativas eram de vendas externas de 35 milhões de toneladas. Agora, as expectativas são de 38 milhões.

Maior mistura de etanol de milho na gasolina nos Estados Unidos, atraso de plantio na safra norte-americana, petróleo em alta e dificuldades ucranianas para exportar mantêm o cereal em patamar elevado no mercado internacional. Tudo isso, favorece as exportações brasileiras.

Na safra passada, a ausência de 20 milhões de toneladas do cereal brasileiro no mercado internacional afetou as cotações. A previsão inicial era de exportações de 44 milhões de toneladas, mas o país só colocou 20,8 milhões no mercado internacional, conforme dados da Secex.

Nesta safra 2021/22, ao exportar 38 milhões de toneladas, o país deverá recolocar um volume extra próximo ao que a Ucrânia deixa de exportar, devido ao conflito com a Rússia.

Um volume maior de exportação, porém, reduz os estoques finais internos. A Conab refez suas estimativas e prevê uma queda desse volume para 10,4 milhões de toneladas, 4% abaixo das estimativas anteriores.

Com relação ao trigo, apesar dos bons preços, os paranaenses não acreditaram muito no plantio do cereal. Conforme previsão da Conab, a área de trigo será reduzida em 3,3% no estado neste ano, mas cresce 9,7% no Rio Grande do Sul.

A produção total do país, que somou 7,7 milhões de toneladas em 2021, sobe para 8,1 milhões neste ano.

A Conab também reajustou para cima a produção de soja, agora estimada em 123,8 milhões de toneladas, um volume, no entanto, ainda bem inferior aos 144 milhões de toneladas previstos inicialmente.

A produção total nacional de grãos na safra 2021/22 deverá ficar em 272 milhões de toneladas, segundo as expectativas mais recentes da Conab. As previsões do final do ano passado apontavam para 291 milhões de toneladas.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.

Source link

Leave a Reply

Your email address will not be published.

close